Mantenedores

Fernando C. Madalena | Supervisor de Suporte Técnico e Treinamento | Brasil

Emerson Commercial & Residential Solutions

 

Há muitas considerações a serem avaliadas ao tentar determinar a vida útil do compressor. O tipo de aplicação, número de ciclos, dimensionamento de componentes, falha de componentes, vazamentos de fluido refrigerante, sobrecarga de fluido refrigerante, variações de fornecimento elétrico (e respectiva qualidade deste fornecimento), cronogramas de manutenção etc.; podem afetar adversamente a confiabilidade e a vida do compressor.

Na próxima edição abordaremos a discussão sobre a instalação de ventiladores eletrônicos em condensadores e as vantagens com a utilização dessa tecnologia. Mas se você introduzir que condensadores são os únicos equipamentos em que a utilização dessa tecnologia é viável, está na hora de reavaliar os seus conceitos.

Problemas de campo em compressores – Parte 5 / 7

Fernando C. Madalena | Supervisor de Suporte Técnico e Treinamento | Brasil

Emerson Commercial & Residential Solutions


Continuando nossa série de 7 artigos onde abordamos as falhas mais comuns encontradas em análises de compressores abertos vindos de campo. Falaremos hoje sobre o Golpe de Líquido. Explicando a falha, mostrando as principais causas, apresentando as consequências desta falha no sistema e por fim orientando como prevenir que este tipo de falha não ocorrá.

Golpe de Líquido

Uma vez que exista a presença de grande quantidade fluído refrigerante em estado líquido no , óleo lubrificante ou uma mistura dos dois dentro dos cilindros, o pistão não conseguirá comprimí-lo naturalmente, durante um curto período de tempo, pela válvula de descarga durante a compressão. Logo, este efeito causará uma pressão excessiva no interior do cilindro.

Esta pressão hidrostática criará excessivas cargas no dispositivo de compressão, seja ele pistões, scrolls ou palhetas. Esta pressão no pistão, por exemplo, será retransmitida através da biela e virabrequim e mancal principal, até que um dos componentes não aguente e falhe mecanicamente.

Além disso, esta mistura de fluído refrigerante em excesso com o óleo lubrificante causará uma mistura espumante que faz com que as bombas de óleo, sejam mecânicas ou eletrônicas, passem a não bombear corretamente, causando assim alarmes desnecessários ou até mesmo uma espécie de bypass nestes componentes não alertando o perigo que o compressor esta correndo.

Outro ponto a observar é que contínuo retorno de fluído refrigerante (veja o artigo sobre Retorno de Líquido) no estado líquido no compressor causado por um superaquecimento inadequado (veja também o artigo de ajuste de superaquecimento e o primeiro artigo desta série) também gera uma refrigeração do bloco do compressor, quando este esta desligado.

Este fluído refrigerante em estado líquido que fica retido no bloco do compressor causará um golpe de líquido quando o compressor é ligado novamente (ver artigo anterior sobre partida inundada). Com este ciclo de liga e desliga, que geralmente ocorrem diversas vezes em sistemas de climatização, inúmeros golpes de líquido (de maior e menor proporção) ocorrerão durante um dia inteiro de funcionamento do compressor.

Principais causas:

  • Retorno de fluído refrigerante em estado líquido no compressor;
  • Partida Inundada;
  • Falta de lubrificação;
  • Excesso de fluído refrigerante no sistema;
  • Excesso de óleo lubrificante no sistema.

Principais efeitos:

  • Quebra mecânica das partes do compressor, devido ao mesmo tentar comprimir líquido

Como evitar:

  • Realizar a limpeza do sistema para eliminar os ácidos e resíduos provenientes da contaminação por umidade. Deve-se substituir os filtros secadores por filtros EK com alta capacidade de absorção de ácidos, umidade ou limalhas metálicas dentro do sistema;
  • Instalar um filtro secador na linha de sucção do compressor;
  • Verificar limpeza e fluxo de ar no condensador;
  • Analisar o funcionamento do sistema, no dispositivo de expansão, no evaporador e na carga do fluído refrigerante (o superaquecimento deve ser seguir o que o fabricante da máquina recomendar);
  • Verificar o superaquecimento do fluído refrigerante na linha de sucção. Havendo golpe de líquido, o superaquecimento tenderá a 0K (Zero k) e o efeito desta mistura removerá todo o filme de lubrificação das partes móveis do compressor;
  • Verificar se há longas paradas do compressor. Se houver poderá estar ocorrendo partidas inundadas (A diluição do óleo lubrificante com o fluido refrigerante ocorre durante as paradas prolongadas do compressor, fazendo com que ele perca grande parte das suas qualidades de lubrificação);
  • Após a instalação do compressor no sistema, pressurizar com nitrogênio e realizar testes de vazamento. Evacuar o sistema com mínimo de 500 microns (0,0005 = ou seja, utilizar vacuômetro digital para conseguir verificar essa medida!);

Página 1 de 11

Social

Topo