Mantenedores

Embora o processo de refrigeração e condicionamento de ar seja basicamente igual em qualquer equipamento de ar condicionado, há diferenças claras de porte e na forma de distribuir o “frio”, principalmente no que se refere ao ambiente para o qual o funcionamento do aparelho foi projetado. No caso de prédios comerciais, por exemplo, podemos citar quatro principais tipos de sistemas: ar condicionado central, split, VRF e self ou de janela. Confira abaixo as características de cada um:

- Ar condicionado central: utilizam um conjunto de máquinas de grande porte e são usados somente em grandes projetos, por serem, a longo prazo, mais eficientes no uso de energia elétrica.

Conceitos aplicados para sustentabilidade e conforto, projeto recebeu a pré certificação LEED Gold

O Green Towers Brasília, localizado na capital federal, é um empreendimento corporativo da Tishman Speyer com a Via Engenharia, composto por três torres de edifícios comerciais, construídas em fases, que totalizam 85.000 m2 de área locável.

Com vãos livres de até 16 metros e lajes de 1.600 a 1.800 metros quadrados por torre, estruturado no conceito core & shell, o Green Towers Brasília possui interligação entre os edifícios e flexibilidade para atender um ou múltiplos usuários. No térreo, uma área de conveniência integra as três torres com restaurantes, lojas e serviços.

Projetado pelo escritório de arquitetura americano Arquitectonica, o projeto do sistema de AVAC foi realizado pela Teknika com instalação da Tuma Engenharia.

Alteração dos níveis de temperatura adotados em projetos contribuem para o desempenho energético

A preocupação com a redução do consumo de energia em edificações é pauta constante em diversos setores da construção civil e mecânica, e hoje, vivemos uma situação em que soluções inovadoras para atingir metas de redução de consumo mais altas são cada vez mais exigidas. Porém, muitas vezes, algumas oportunidades de atingir estas metas não são exploradas de forma adequada e isto não ocorre, pois o profissional que está envolvido no projeto de sistemas de climatização não tem tempo de avaliar alternativas de forma adequada, em função dos prazos a serem cumpridos.

Uma destas oportunidades está relacionada com os níveis de temperatura adotados nos projetos de sistemas de climatização. O objetivo deste artigo é avaliar a possibilidade de alteração do set point de alguns pontos do sistema de climatização e verificar o impacto destas alterações no desempenho energético do sistema de climatização e global do edifício, a saber:

Legionella não passa de pessoa para pessoa. Se adquire pela água pulverizada (pequenas gotículas)

A Doença do Legionário é uma forma de infecção pulmonar e a sua causa, a Legionella, ocorre quan- do o hospedeiro (nós) respiramos gotículas de água (spray ou aeros- sol) contaminada pela bactéria.

Muitos a associam com a contaminação através do(s) sistema(s) de climatização (ar condicionado), o que não é 100 % correto.

A Legionella é uma bactéria que vive na água, ou seja, ela está nos lagos, rios, represas e até na terra. Podemos afirmar que a Legionella faz parte do nosso meio ambiente e está presente nos circuitos de água que nós utilizamos para poder viver.

A Legionella está entre nós todos os dias, inclusive no Brasil, onde muitas pessoas acreditam que por aqui ela não existe. Isso é um grande erro de entendimento. Como foi dito, a legionella vive na água, independe de que pais ou conti- nente estamos falando. Foi descoberta após uma grave mortalidade na Filadélfia, em um encontro dos Legionários, daí o nome Legionella. Ela provoca no ser humano alguns problemas sérios no aparelho respiratório, podemos ter a febre Pontiac (como um forte resfriado), pneumonia leve e até a pneumonia gravíssima que pode levar à morte.

Sidney de Oliveira
OAB/SP 24876
Membro Efetivo da Comissão de Sustentabilidade e Meio Ambiente da OAB/SP, Associado da ANPRAC, ABRAVA e SBCC, Colaborador da Revista Climatização & Refrigeração

O homem, desde seus mais antigos primórdios, buscou abrigar-se para enfrentar as intempéries. Assim, primeiramente, as cavernas naturais foram esse abrigo. Posteriormente deixou as cavernas e passou a construir seus refúgios. O objetivo sempre foi abrigar-se das mudanças climáticas protegendo-se de chuvas, sol e frio.

Evoluiu para construções horizontais, amplas, com poucos andares, com pé direito de cinco a seis metros, espaços abertos para o exterior, grandes janelas que iluminavam e arejavam naturalmente os ambientes. Surgiu então a verticalização determinada pela concentração humana, sempre nas regiões centrais das cidades. Essa verticalização foi possível pelo desenvolvimento de materiais resistentes e leves mas, porém, confinou o homem em espaços sem luz e sem ventilação natural Controle da iluminação, da temperatura e da ventilação, a busca das condições ideais para habitabilidade, mostravam-se complexas à medida que o plano das edificações se afastava do solo.

Os sistemas para obter e manter as condições ideais para a vida humana nos ambientes interiores adquiriram posição de absoluta importância. A tecnologia passou a criar formas de reproduzir as condições ideais de controle ambiental. Equipamentos foram projetados e construídos e normas técnicas foram desenvolvidas. Essa tecnologia tem parâmetros rígidos, que precisam ser considerados.

A parte introdutória da Carta de Princípios, documento de outubro de 2002 , preparada por um grupo de profissionais do setor, e que se encontra devidamente arquivada e registrada sob número 450993 aos 14 de novembro de 2002, no 9º Cartório de Registro de Títulos e Documentos da cidade de São Paulo já consagrava:

Com a eliminação acelerada dos HCFCs (como R22) no âmbito do Protocolo de Montreal, encontrar fluídos refrigerantes alternativos adequados para condicionadores de ar se tornou uma questão crítica. Apesar de existirem várias opções de fluídos alternativos diferentes, encontrar uma que atende todas as considerações econômicas e ambientais é um grande desafio. Este artigo aborda as implicações do uso de hidrocarbonetos, particularmente R290 (propano) e R1270 (propileno), como fluido refrigerante para ar condicionados de ambiente com foco em sua segurança, eficiência e também suas implicações ambientais e financeiras – leia o artigo completo.

Fonte: Daniel Colbourne, em nome da GIZ Proklima
Agosto 2011 

Calculo de Carga Térmica

A importância de um cálculo de carga térmica é fundamental para o bom funcionamento de uma câmara frigorífica. A quantidade de calor que será deslocado para a câmara de refrigeração, e nela manter a temperatura prescrita também nas condições de operações mais difíceis.

Uma das maneiras de avaliarmos as condições de calor nas câmaras frigoríficas é através das paredes , teto e piso da câmara. Diferenciarmos as temperaturas entre ambiente externo e da superfície da câmara, são minimizadas por uma espessura adequada de material isolante aplicado a toda a superfície interna da câmara e por uma barreira de vapor eficaz.

Paulo Neulaender

1- Introdução

As câmaras frigoríficas são compartimentos refrigerados, fechados, isolados termicamente, no interior dos quais são mantidas as condições termohigrométricas, isto é, de temperatura e de umidade, mais adequados para a conservação dos gêneros alimentícios. A manutenção das condições termohigrométricas requeridas é provida por uma unidade de refrigeração, eventualmente integrada por sistemas de aquecimento e umidificação. Cada câmara frigorífica deve ser projetada para um determinado fim, cuja carga térmica a ser retirada pelo equipamento frigorífico e o período de tempo necessário do processo são calculados criteriosamente. 

Equipamentos mantêm a temperatura e umidade dentro dos parâmetros estipulados, além de propiciar economia de espaço e energia.

Desenvolvidos especificamente para climatizar ambientes críticos, os condicionadores de precisão têm por função garantir a continuidade de operação de ambientes/processos que exijam rigorosos controles de temperatura e umidade, 24 horas por dia.

De acordo Marco Adolph, engenheiro da TROX, só um condicionador de ar de precisão está dimensionado para operar 24 horas por dia, 365 dias por ano com FCS (Fator de Calor Sensível) próximo a 1 e apto a corrigir tanto o calor sensível quanto um eventual calor latente do ambiente a ser climatizado.
Adolph acrescenta que antigamente com um sistema simples de climatização era possível retirar o calor, por exemplo, de dentro dos ambientes de TI.

"Hoje, como aumentou muito a capacidade de densidade de processadores num mesmo rack, há uma demanda por refrigeração muito maior. Em racks com alta densidade, blades services dentro dos gabinetes insuflam até 30 kW de calor por unidade de processamento para o ambiente. Imagine uma instalação que possui 30 dessas unidades, uma do lado da outra, o quanto de energia será consumida para retirar o calor através de um sistema convencional. Com essa temperatura mais alta, especialistas da área de informática dizem que pode ocorrer o aumento de falhas destes equipamentos três vezes maior em virtude do calor gerado para o ambiente.”

Página 51 de 52

Social

Topo